Achados e perdidos
Quem me dirá onde está
Aquele moço fulano de tal
(filho marido irmão namorado
Que não voltou mais)
Insiste o anúncio nas folhas
Dos nossos jornais
Achados perdidos morridos
Saudades demais
Mas eu pergunto e a resposta
É que ninguém sabe
Ninguém nunca viu
Só sei que não sei
Quão sumido ele foi
Sei é que sumiu
E quem souber algo
Acerca do seu paradeiro
Beco das liberdades
Estreitas e esquecidas
Uma pequena marginal
Dessa imensa Avenida Brasil
 

Login do Usuário

Usuários Online

Nós temos 42 visitantes online

Estatística

Visualizações de Conteúdo : 113139